Mistress America

A intensidade é uma merda. Porque as pessoas curtem as pessoas intensas, mas não levam para casa. Seres humanos, de maneira geral, tem a alma homo, amam seus iguais, não amam quem é diferente. Está aí Jane Austen que não me deixa mentir. Pessoas intensas precisam ter sempre um plano B em relacionamentos com pessoas não intensas. O problema é que, muitas vezes, pessoas intensas têm pouca percepção do outro. Acreditam que o apreço demonstrado em mesa de bar, no trabalho, em ambientes sociais ou privados significa afeto confiável. Não significa. Os aplausos ou o afeto demonstrados querem dizer apenas que a pessoa intensa é muito atraente, original, inusitada. As pessoas intensas deveriam seguir

Os senhores não percebem que estão me magoando?

Fui assistir, quinta passada, ao espetáculo de final de ano da CAL, a convite de Leonardo da Selva. Era a montagem de O capote de Nikolai Gogol, adaptado por Anna Paula Borges, Eduardo Vaccari e pelo próprio Leonardo. Fiquei feliz por ter deixado tudo de lado para assistir a jovens tão talentosos e bem dirigidos. Nessas horas, orgulho do que se faz de bom, no meu pais, no meu estado, em minha cidade. Orgulho dos nossos artistas, já que está difícil ter orgulho dos lideres. Assistir um texto de Gogol me toca especialmente porque me faz pensar que se os autores russos da época ou outros, como Andersen, usassem fluxocetina não escreveriam o que escreveram. Porque o sentimento que me passa “O ca

Adoro segunda-feira

Sexta minha amiga fez aniversário e comemorou numa roda de samba de raiz. Dancei, cantei muito, interagi com meu público alvo. Foi bacana. O bom do samba de raiz, do Túnel Santa Barbara para lá, é que o numero de homens e mulheres mais ou menos se equipara. Alem disso, vi homem beijando homem, mulher beijando mulher, homem beijando mulher na pista, sem causar espécie. Karla foi ao lançamento do meu primeiro livro, História Cruzada. Levei para ela o trigésimo, Fronteiras. Obrigada, Karla, por me apresentar ao lugar e aos seus amigos gente boa. Adorei. Uma outra coisa boa do meu final de semana foi a oportunidade de confirmar que algumas pessoas simplesmente não entendem que “se malandro soub

Força de vida

Estou desde ontem tentando escrever sobre contatos, exposição, respostas, falta de respostas. Nas tentativas foi me dando um banzo, um cansaço das minhas repetições. Há pouco, conversei com uma pessoa empenhada numa jornada pessoal na busca de ser justa com ela mesma e com o mundo. Essa pessoa me disse, carinhosa e firme, que devo estar muito estressada porque estou me entregando à severidade em relação a mim mesma. É verdade. Essa é a minha tendência. E aí minha força de vida que estava combalida voltou. E minha lucidez também. É bom ser uma pessoa que busca ajuda. Pelo menos, é bom ser uma pessoa gregária que tem lucidez suficiente para buscar ajuda. Eu estava triste por minha tentativa m

Posts recentes
Arquivo