Cadeia e Hospício


Sou brasileira, com muito orgulho, com muito amor. No entanto, acho, no mínimo, intrigante a nossa hipocrisia ou falta de lucidez. Nós somos contra hospício, mas somos indiferentes à sorte de milhares de pessoas com problemas psiquiátricos variados que apodrecem nas cadeias brasileiras. Sim, porque um jovem que rouba numa semana, quase morre num linchamento e na semana seguinte é pego de novo roubando, é compulsivo, não é mesmo? Ou, pelo menos, se fosse branco de classe média a família o levaria num psiquiatra.

Um dos mortos em Roraima estava preso por não ter cumprido a pena alternativa. Foi classificado pela irmã como cabeça de vento, maria vai com as outras. O que a classe média faz com um filho cabeça de vento, maria vai com as outras? Terapia. Isso quando o dito cujo não fica no Facebook gastando seu jeito “maria vai com as outras de ser” com demonstrações de que não raciocina.

Por que setores da classe média esclarecida está mais preocupada com o Fla X Flu “Fora Temer”ou “Lula na cadeia” do que com os compulsivos, impulsivos, bipolares que estão encarcerados? Por que a classe média esclarecida está mais preocupada, como Frei Beto, em criticar as medidas do atual governo do que pensar os motivos pelos quais cabeças de vento e maria vai com as outras estão morrendo?

Um parêntese esclarecedor: eu não votei no Temer, como a maioria da classe média envolvida num dos lados do Fla X Flu político votou. Eu votei e votarei NULO enquanto não surgir nesse país um agrupamento político que leve a sério a legião de despossuídos que ficam entregues à Sorte, às circunstâncias, aos líderes corruptos ou cruéis.

Ocorre que a maioria dos brasileiros não dá a mínima para os que são punidos por seus maus feitos. A maioria acha que os punidos devem ser execrados, isolados, torturados. Quem mandou errar?

E quando aparece algum juiz ou promotor que marca em cima dos maus feitos dos que enriqueceram na política? Serão esses “malucos”, “psicopatas”, neuróticos variados? Não. Nessa situação, uma parte da a classe média esclarecida acha que é perseguição política. A outra parte coloca o polegar para baixo e quer que sejam execrados, isolados, torturados até a décima quarta geração.

Nunca entendi porque os esclarecidos acham que ser maluco é bacana. “Sou maluco, mas não sou burro”, já ouvi várias vezes de amigos, conhecidos claramente precisando de medicação ou de terapia.

De certa forma, voltando atrás, ser “maluco” dá certo para eles. Têm família, casa própria, um dinheirinho aplicado, previdência privada alguns, plano de saúde de todos. E nenhum é burro de cometer um erro sério o bastante para leva-los a cadeia, um lugar pavoroso onde sua maluquice será ignorada e punida. Talvez, caso não tenham o suficiente para pagar proteção, sendo decapitados quando os xerifes do local estabelecerem.

Na minha infância, se dizia que “cadeia não foi feita para cachorro”. É verdade. Foi feita para os que erram seriamente.

Colocar na cadeia gente maluca, burra, cabeça de vento, maria vai com as outras, auto sabotadores por vontade ou doença é uma das coisas mais idiotas que se faz em meu país.

Misturar essa moçada com os que têm inteligência e capacidade de gestão para liderar massacres é pior ainda.

Fazer de conta que “Fora Temer” tem a mesma importância (ou maior) do que a situação da população carcerária é o pior que a classe média esclarecida poderia fazer nesse momento.

Nenhum governo brasileiro, até agora, se preocupou com essa situação. Talvez com a ida de algumas celebridades para a cadeia os que têm poder e ideias comecem a se preocupar.

Últimos textos
Arquivo

© 2015. Site desenvolvido por Agência e-Plan