O que pode acontecer de pior?


Billy Wilder disse: os pessimistas vão para Hollywood, os otimistas para Auschwitz.

É uma maneira inusitada de pensar o Holocausto e a vida. Podemos considerar, no entanto, que ele deixou uma carreira em Berlim logo que os nazistas tomaram o poder . Emigrou para Hollywood sem saber inglês. E a mãe e os avós morreram no campo de concentração.

Provavelmente, milhares de otimistas resistiram a largar tudo para se arriscar fora da Europa, naquela época.

Dos 17 anos até hoje, em situações desesperadoras, eu costumo pensar: o que pode acontecer de pior, se eu tomar tal ou qual atitude?

Hoje, acordei pensando: só nas situações desesperadoras?

Estou numa fase da minha existência onde tudo gira em torno de quais limites meus estou disposta a abrir mão. Quais dificuldades minhas estou disposta a vencer. O quanto estou disposta a me submeter aos limites e dificuldade dos outros.

Por que não considerar o que pode acontecer de pior se eu colocar limites firmes entre o que sou e o que as pessoas gostariam que eu fosse?

O que pode acontecer de pior é eu me afastar das pessoas que não aceitam o destino o tanto que eu aceito. O que acontecerá de pior é perder alguma coisa que essas pessoas têm e eu quero.

Porque tudo se resume a isso. Alguém tem alguma coisa que a gente deseja. Trabalho, dinheiro, poder, amor, sexo. E a gente começa a fazer qualquer coisa para obter. A aceitar qualquer coisa. A relevar. Aí, alguém dança. No pior sentido.

Últimos textos
Arquivo