Yolanda

Por causa de minha mãe Yolanda, sou escritora. Ela foi a melhor Musa que um escritor poderia ter. Ela me ensinou o valor da beleza, o valor dos grandes feitos, o valor da Literatura, do Teatro, do Cinema, da Música. Podia não existir dinheiro para pagar o aluguel, mas existiam os livros, a radio vitrola, os LPs, a TV preto e branco. E a praia. D. Yolanda amava o mar. Ela queria os filhos a todo custo, muito além de qualquer sensatez e cálculo. Por causa de minha mãe Yolanda, minha descendência importa tanto. Minha mãe não diminuía mulheres. As casadas que traiam, as que se vendiam, mulheres amantes de homens casados, lésbicas, mulheres que sustentavam homens, mulheres que apanhavam. Minha m

Eles não são vítimas

Eles não são vítimas Li hoje no Segundo Caderno uma vítima de assalto/sequestro relâmpago dizendo que os sujeitos que roubaram 3500 reais dela, ficaram passando o revólver nas pernas, nas costas são vítimas como nós. Eu trabalho, pago imposto, "já passei por quase tudo nessa vida e em matéria de guarida espero ainda minha vez". Portanto, faço questão de me retirar desse conjunto interseção "assaltados/assaltantes". Assaltante não é vítima. É algoz. Assediador de mulher não é vítima. É algoz. Homem que "pede", "seduz", "convence" mulher grávida a carregar drogas dentro do corpo para entregar a ele na cadeia não é vítima. É algoz. Os exemplos são infindáveis. Para quem só conhece pobre bra

Posts recentes
Arquivo