Yolanda

Por causa de minha mãe Yolanda, sou escritora. Ela foi a melhor Musa que um escritor poderia ter.

Ela me ensinou o valor da beleza, o valor dos grandes feitos, o valor da Literatura, do Teatro, do Cinema, da Música.

Podia não existir dinheiro para pagar o aluguel, mas existiam os livros, a radio vitrola, os LPs, a TV preto e branco. E a praia. D. Yolanda amava o mar.

Ela queria os filhos a todo custo, muito além de qualquer sensatez e cálculo.

Por causa de minha mãe Yolanda, minha descendência importa tanto.

Minha mãe não diminuía mulheres. As casadas que traiam, as que se vendiam, mulheres amantes de homens casados, lésbicas, mulheres que sustentavam homens, mulheres que apanhavam. Minha mãe gostava dos gays e eles gostavam dela. Até a hora da Morte, existia um gay do lado de minha mãe.

Minha mãe estabelecia vínculos com pessoas alegres e com pessoas sofridas.

Por causa de minha mãe aprendi a respeitar todas as religiões e a apreciar a companhia das pessoas diferentes de mim. Sou livre pensadora, ela dizia.

Minha mãe amava a Noite, as festas, a boa comida.

Talvez sua exuberância e volúpia tenha exercido em mim um efeito inibidor. E me tornado mais tímida, mais medrosa, mais ponderada do que necessário.

Foi difícil não pensar dez vezes antes de fazer alguma coisa, sendo filha de uma mulher tão passional, corajosa, libertária.

Minha mãe não era santa. Era voluntariosa. Destemida. Temperamental.

Minha mãe errou muito, mas das pessoas a quem conheci foi a punida com mais rigor, de forma mais implacável. E mesmo assim, ela não se abatia.

Quanto escuto hoje as pessoas se queixarem dos seus traumas, ou da maneira como são tratadas, eu penso: E D. Yolanda?

Quando eu me queixo da vida, eu penso: E D.Yolanda?

Minha mãe foi injusta, muitas vezes, mas foi a pessoa de maior honestidade intelectual que eu conheci na vida.

Ela desprezava os hipócritas, mas não vivia das lembranças de quantas vezes os hipócritas haviam lhe ferido. D. Yolanda detestava rancores.

Minha mãe vivia no presente.

Ela só tinha um medo na vida, o medo do mal que finalmente a abateu.

Minha mãe foi embora.

E sinto que não existem palavras que consigam expressar o quanto me orgulho de ser sua filha e, na medida do que consigo, sua herdeira.

Eu desejo que D. Yolanda esteja num lugar onde sua risada maravilhosa possa alegrar os que precisam de sua força.

E que a Senhora dos Raios proteja minha mãe na Travessia.

Últimos textos
Arquivo