Por que trair minhas fraquezas?

Passei a manhã pensando, de vez em quando, num texto que recebi de alguém que, para não se arrepender do seu voto, declara não existirem culpados para a avalanche de mortos.

Depois, os homens não sabem o motivo pelo qual são traídos. A mulher dele é uma pessoa feliz. Frequenta espaços com homens atraentes. Por quanto tempo vai aturar esse tipo de chatice depressiva?

No meio do caminho, firme na minha criação, caí na besteira de ligar para alguém que projeta seus defeitos em mim, exercita suas garras, sua inveja na minha pessoa. Por que eu faço isso?

Logo eu que assisto a Elektra Abundance pisando na cabeça da Blanca Evangelista!

Nelson Rodrigues dizia que a traição era a vingança das mulheres contra os cretinos fundamentais.

Uma personagem de Pedro Almodóvar disse que as mulheres fazem qualquer coisa para não ficarem sozinhas.

Eu preciso aprender a não procurar o sadismo alheio. Vou copiar essa frase 300 vezes. Quem sabe assim eu aprendo?

Ou então, preciso aceitar minha fraqueza de, eventualmente, procurar sádicos, minha fraqueza de ficar um pouco triste com isso. Sei que minha força é levantar, lavar o joelho ralado e escrever nesse blog que ninguém lê. Só pelo prazer de saber que eu posso trair os outros e ser fiel a mim.

Últimos textos
Arquivo