Precisar e preferir

Criei uma personagem que aplica na própria vida tudo o que pensa sobre os outros.

Alguém disse uma vez que a gente só deve pedir a quem oferece e só oferecer a quem pedir. Eu levei séculos para entender essa frase.

Hoje ouvi: eu não iria atrás de quem some.

Suponho que isso seja possível quando não se precisa da pessoa de quem se some.

Hoje também uma pessoa que trabalha comigo há 13 anos disse que mudei muito nesse período, estou menos brava. Estou mesmo.

Porque fui refazendo caminhos, entendendo melhor os personagens e ao entendê-los passei a me situar de forma mais confortável na vida. Fui desapegando de comportamentos velhos. Sumi de algumas tribos onde eu era a estranha.

Preciso de pessoas.

Gosto de pessoas generosas. As que se oferecem.

Prefiro pessoas que conversam sobre “coisas” e não sobre o tempo e as estradas (apud Jane Austen). Sonia Rodrigues também é cultura! .


Últimos textos
Arquivo